2019 - em processo (work in process) 

Sempre vivi em um casa só de mulheres. Minha mãe, Vó e Tia Lu foram os ventres que me abrigaram, que me ensinaram o que sei, que me apresentaram o mundo - e ao mundo. Não há casa sem flores é um processo em andamento que tem como ponto de partida minha casa, esse lugar - simbólico e espacial -, que para mim sempre foi matriarcal. A partir da fotografia e do vídeo, encontro maneiras de acessar o universo do cotidiano e do familiar, explorando as histórias que emergem de laços profundos e íntimos. Encontro imagens que revelam o lugar do afeto, do cuidado, da força e, ao mesmo tempo, das memórias, das dores e das sombras que discretamente atravessam os retratos. Me procuro enquanto as fotografo. Nos busco.